domingo, 16 de outubro de 2011

Papel de parede

Dando continuidade aos posts sobre minha vida atual de dona-de-casa em reforma:

Com tintas com milhões de efeitos que fazem tudo, inclusive dar textura, tenho a impressão de que o papel de parede meio que caiu em desuso e as paredes brancas e beje ainda fazem a cabeça da maioria das pessoas. Eu, porém, adoro estampa na parede, e também queria ter um quarto de menina frufru - o papel de parede, nesse caso, ajuda e muito! Dentre flores, listras e bichinhos, achei um verdinho com florzinha roxa, bem do jeito que eu queria.

Aqui, em fase de colocação dos detalhes. O lacinho é o "ponto final" da trilha de passafita, ainda escura por estar molhada.

Para aproveitar o tom já verde da parede, resolvi fazer só metade dela, numa divisão horizontal. Dessa forma, ganha-se ainda mais cor e informação. O meu grande problema é que tinha que ter algum arremate no final do papel, bem na divisão, mas não achava uma estampa que combinasse nem que fosse num preço razoável. A alternativa foi arrematar com uma faixa de passafita com cetim na cor lilás, aplicada com cola branca normal. Normalmente, e foi o caso aqui também, o tecido, após ser molhado com cola, escurece um pouco. O resultado final, no entanto ficou bem perto do que eu queria.

Detalhe da parede já finalizada

Um detalhe importante: muitas vezes vemos somente um pedaço do papel e naturalmente as estampas e cores parecem pular na nossa cara. Só que, quando aplicados numa parede grande, tudo que parecia enorme acaba sumindo por causa da grande extensão. Como exemplo, a estampa que eu escolhi, que parecia bem visível de perto, vista de longe mal aparece. Por isso, se alguém resolver colocar papel de parede e quer que a estampa se destaque, lembrem-se disso!

Vista de longe, a estampa "some" na imensidão da parede e fica apenas como um detalhe discreto.

sábado, 15 de outubro de 2011

Aplicação de tecido em parede

Em substituição ao tradicional papel de parede, o tecido é uma alternativa, ao meu ver, por dois motivos: o preço (apesar de a diferença ser pequena) e principalmente a variedade. Tecido tem um sem fim de texturas e cores principalmente de florzinhas, que eu amo. Tem uma loja na Generoso Marques que a gente chega a ficar nervosa, de tanta variedade que tem.

Antes - aplicando a chapa de compensado na parede


Mas tem uma coisa – o tecido não é para ser discreto, muito pelo contrário, o legal é dar aquele ar cafoninha mesmo, como um hotel dos anos 70, sabe como?

A aplicação em duas pessoas até fica fácil, mas o problema é conseguir colar com 100% de perfeição. O meu não ficou perfeito, mas por ser estampado o enrugado não aparece tanto. O tom azul escolhi para quebrar um pouco o estímulo das demais paredes da sala, corredor e escritório, que são mostarda e laranja.

Eu escolhi tecido na copa porque essa parte da casa era meio morta, parecia um depósito, e o tecido encheu o ambiente e o deixou com bastante vida, como eu queria. Uma das paredes faz divisão com o banheiro, e sofria com umidade e infiltração. A solução foi colocar uma chapa de compensado, passar massa corrida, pintar de branco e aí então colocar o tecido.

Depois, com as prateleiras na parede


Detalhe com minhas panelinhas coloridas


Tem um vídeo que eu já tinha postado, aqui, que mostra certinho o passo a passo, para quem quiser se aventurar também.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Aos meus professores


Dia 15 de outubro, dia do professor. Interessante pensar que a maior parte da nossa vida a gente passa sentado numa carteira de sala de aula. Começa no jardim da infância e só para quando a gente quiser. Eu, aos 33 anos, ainda sento todo final de semana em um. Também tem os professores de qualquer outra coisa que a gente queira aprender: dança, música, pintura, línguas, artesanato, esportes e mais o que a gente imaginar.

Desde minha tenra infância, já tive aula com um sem número de professores, desde a pré-escola até a pós graduação. Alguns mais ou menos, outros excelentes no ensino da sua disciplina. Em uma terceira categoria, estão aqueles professores que marcaram nossa vida. Deixaram sua marca registrada nos boletins e também na nossa personalidade. São, até hoje, inspiração e exemplo.

No meu caso, são elas: Professoras Flora Koti, Yara Pimentel, Cristina Ghizzi, Nancy Malschitzky, Carmen Romero. Vocês estão um nível acima dos professores. Vocês ensinam muito além das matérias da grade escolar. Vocês ensinam a disciplina da vida.

Meu muito obrigada por tudo!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Reformas mil

Nossa, sumi completamente do blog, né? Pudera, pois estou este mês arrumando a nova casa para me mudar. Nada de quebrar paredes e tal, mas dando só aquela maquiada básica para que uma casa se torne habitável, sabe como? Assim, meus dias livres foram preenchidos por visitas à Cassol, Balaroti, Leroy Merlin e lojas de decoração de todos os tipos, incluindo, claro, minha querida e amada feirinha de domingo do lago da ordem.

Entre quadros, flores e tapetes, o meu desafio maior foi, sem dúvida, colocar papel de parede e tecido nas paredes do quarto e da copa, respectivamente. Como eu mesma que estava fazendo tudo e era marinheira de primeira viagem, imaginem o medo!

Bem, ontem foi o final da colocação do tecido, que era o mais complico, e o resultado eu adorei!

Então vou fazer a partir de hoje alguns posts sobre essa minha temporada de dona de casa para trocarmos figurinhas sobre decoração, combinado?