domingo, 16 de outubro de 2011

Papel de parede

Dando continuidade aos posts sobre minha vida atual de dona-de-casa em reforma:

Com tintas com milhões de efeitos que fazem tudo, inclusive dar textura, tenho a impressão de que o papel de parede meio que caiu em desuso e as paredes brancas e beje ainda fazem a cabeça da maioria das pessoas. Eu, porém, adoro estampa na parede, e também queria ter um quarto de menina frufru - o papel de parede, nesse caso, ajuda e muito! Dentre flores, listras e bichinhos, achei um verdinho com florzinha roxa, bem do jeito que eu queria.

Aqui, em fase de colocação dos detalhes. O lacinho é o "ponto final" da trilha de passafita, ainda escura por estar molhada.

Para aproveitar o tom já verde da parede, resolvi fazer só metade dela, numa divisão horizontal. Dessa forma, ganha-se ainda mais cor e informação. O meu grande problema é que tinha que ter algum arremate no final do papel, bem na divisão, mas não achava uma estampa que combinasse nem que fosse num preço razoável. A alternativa foi arrematar com uma faixa de passafita com cetim na cor lilás, aplicada com cola branca normal. Normalmente, e foi o caso aqui também, o tecido, após ser molhado com cola, escurece um pouco. O resultado final, no entanto ficou bem perto do que eu queria.

Detalhe da parede já finalizada

Um detalhe importante: muitas vezes vemos somente um pedaço do papel e naturalmente as estampas e cores parecem pular na nossa cara. Só que, quando aplicados numa parede grande, tudo que parecia enorme acaba sumindo por causa da grande extensão. Como exemplo, a estampa que eu escolhi, que parecia bem visível de perto, vista de longe mal aparece. Por isso, se alguém resolver colocar papel de parede e quer que a estampa se destaque, lembrem-se disso!

Vista de longe, a estampa "some" na imensidão da parede e fica apenas como um detalhe discreto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário